ÚLTIMAS NOTÍCIAS > Sanep

Salinidade dificulta o abastecimento de água em Pelotas

Sanep trabalha para manter alto os níveis dos reservatórios, apesar do consumo intenso

Por Sanep 09-01-2021 | 16:50:57

O forte calor registrado nas últimas semanas aliado à salinidade que atingiu a lagoa dos patos, rios e canais, vem trazendo dificuldades ao abastecimento de água em Pelotas. O Sanep precisou reorganizar seu sistema de distribuição para conseguir atender a demanda, que cresce diariamente com os altos índices de consumo de água.

Na praia do Laranjal, a autarquia adota um sistema alternativo e inovador desde 2018: estruturas móveis foram adquiridas para ampliar o tratamento e setorizar a distribuição de água entre os balneários. A captação ocorre de um canal do arroio Pelotas, localizado a três quilômetros do reservatório do bairro. Há cerca de uma semana, a salinidade atingiu este canal, tornando a água salgada em níveis acima do ideal para o tratamento.

 “Por isso precisamos retomar temporariamente o sistema antigo de distribuição para não deixar a praia sem abastecimento neste período. Passamos a utilizar o reservatório R8 da Mário Peiruque dividido entre as regiões do Areal, Dunas e os balneários da praia do Laranjal. Mas em momentos de consumo muito alto, como tem acontecido nessa última semana, tem sido difícil atender toda a demanda”, salienta a diretora-presidente do Sanep, Michele Alsina. 

Diariamente as equipes da autarquia trabalham no monitoramento das pressões dos reservatórios. Através dos manômetros, é realizado o controle dos níveis de hora em hora. Assim é feita a distribuição de acordo com a capacidade de vazão. “O forte calor, o consumo exagerado e a salinidade dificultam a rotina do abastecimento, mas trabalhamos sempre controlando os níveis e as pressões para garantir o serviço”, afirma Alsina. 

O Sanep verifica os índices de salinidade da água bruta diariamente, com análises frequentes para observar se é possível aumentar a vazão da Estação de Tratamento Móvel, que atende exclusivamente o Laranjal. Para haver a inversão do fluxo e a diminuição da salinidade, é necessário que a chuva retorne à região.

Neste período, moradores de regiões como Areal, Dunas e dos balneários da praia do Laranjal poderão registrar a baixa pressão e/ou desabastecimento de água, principalmente no período da tarde, período em que o consumo diminui.

 “Nós realizamos manobras que são fundamentais para garantir que os moradores tenham água nos períodos de maior consumo, que é entre o fim da manhã e início da tarde, e depois à noite. Por isso durante às tardes, esses bairros poderão ter falta d’água, para que o reservatório e o sistema de distribuição sejam recuperados para atender quando o consumo for muito alto”, destaca Michele.

Consumo exagerado preocupa

Com os efeitos do fenômeno climático La Niña, a região sul do estado já se prepara para o período de estiagem. Apesar da indicação de redução na intensidade se comparado ao último verão, a falta de chuva já preocupa. A Barragem Santa Bárbara, responsável pelo abastecimento de 60% da cidade de Pelotas, registrava neste sábado (9), 80 centímetros abaixo do nível ideal de captação.  

“É fundamental que a população utilize água de forma consciente, evitando desperdícios”, alerta a diretora do Sanep.

Evitar o uso contínuo de água potável para lavar calçadas, carros e regar plantas garante uma economia considerável aos reservatórios. Fechar a torneira ao escovar os dentes e lavar a louça também é fundamental.

Tags

sanep, abastecimento, laranjal, areal

Carregando 0%