ÚLTIMAS NOTÍCIAS > Coronavírus

Mutirão garante agilidade na digitação dos dados da vacinação

Mais de dois mil espelhos são digitados diariamente pela equipe formada por servidores da Secretaria Municipal de Saúde e voluntários das instituições parceiras

Por Marina Amaral 12-04-2021 | 17:35:24

Uma força-tarefa, que envolve servidores da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e demais pastas, bem como voluntários das escolas técnicas e universidades parceiras da Prefeitura, está auxiliando no processo de digitação dos dados relativos à vacinação contra a Covid-19 em Pelotas. Os digitadores atuam em quatro turnos, tanto nos prédios da SMS quanto em casa e, também, no laboratório de informática do Instituto Federal Sul-rio-grandense (IFSul), grande apoiador na ação, garantindo agilidade e êxito no processo

De acordo com a coordenadora da digitação da Covid-19 em Pelotas, Lilian Couto, segundo a última atualização do Localiza SUS (plataforma brasileira que centraliza todas as informações relacionadas à pandemia do coronavírus), feita nesta segunda-feira (12), 68.049 vacinas já foram digitadas. Em relação aos dados que ainda precisam ser digitados, a quantidade é de 12.541. Em média, tendo como base os últimos sete dias, são digitados 2.212 espelhos diariamente

O processo teve início com a capacitação dos digitadores, com exposição do funcionamento dos sistemas de cadastro do Ministério da Saúde. Após estarem inseridos no Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações (SI-PNI), onde são digitados os espelhos das vacinas aplicadas, a equipe passou pela segunda fase da capacitação - a de introdução dos dados dos vacinados.

Força-tarefa envolve servidores e voluntários das escolas técnicas e universidades parceiras da Prefeitura - Fotos: Divulgação/SMS

Os espelhos de vacinas aplicadas nos drive-thrus, nas escolas municipais e nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) são recebidos pela manhã. São contabilizadas as doses ministradas, separadas por 1ª e 2ª doses e pelas demais categorias solicitadas pelo sistema. “Criamos uma tabela no Excel, que abastecemos diariamente, e, também, outra na qual temos o controle de doses aplicadas, espelhos digitados e quantitativo a digitar”, explicou Lilian. A partir desse planejamento, é feita uma estimativa de quantos espelhos cada digitador consegue digitar por hora. 

Para que tudo isso possa ser feito, a força-tarefa trabalha nos quatro turnos: manhã, tarde, noite e madrugada. 

“Isso mostra porque o Rio Grande do Sul está em 1º lugar no Brasil em vacinação e Pelotas é uma das cinco cidades que mais vacinou. Isso é o reflexo da digitação rápida e célere”, justificou Lilian Couto. 

Trata-se de um trabalho fechado, que não é mostrado. “Ele fica na retaguarda, nos bastidores, mas é quem concretiza tudo que é feito na linha de frente”, frisou a secretária de Saúde, Roberta Paganini. Infelizmente, ainda não é possível realizar esse trabalho em tempo real. Por isso, existem doses que já foram aplicadas, mas ainda não estão contabilizadas nos sistemas oficiais. 

Todos os dados que são lançados nos sistemas do Ministério da Saúde possibilitam o melhor acompanhamento do avanço da cobertura da vacinação contra a Covid-19. Cada vacina digitada é uma dose contabilizada para a cidade, para o Estado e para o Brasil como um todo. 

“É um esforço conjunto, uma ação em que várias instituições estão juntas para que a gente possa cumprir essa tarefa. Isso mostra o quanto Pelotas é sólida na logística que vem desenvolvendo em relação à vacinação como um todo”, destaca Roberta Paganini.

  

Leia as notícias oficiais, sobre o novo coronavírus e outros assuntos de interesse público, no hotsite e nas redes sociais da Prefeitura de Pelotas: Facebook, Instagram @prefeituradepelotas, Twitter @PrefPelotas e canal WhatsPel.

Tags

vacinação, coronavírus, digitação, mutirão, força-tarefa

Carregando 0%